Tags

, , , , , , ,

Você lembra com exatidão o que você estava fazendo ou como estava sua vida 10, 12 ou 15 anos atrás? Eu tenho vagas lembranças, mas não recordo por datas e sim pelos momentos. Mas o bom de você ser blogueiro por tanto tempo (esse ano completo 12 anos de blog) é compartilhar na maioria das vezes o que sente e o que vive. De uma certa forma o seu histórico fica guardado e você pode fazer o resgate com apenas um clique ou dois!

Na minha juventude eu era muito ❝ Drama Queen ❞ e 11 anos atrás, no dia 26 de Janeiro de 2014 eu postei em meu blog: Me sinto como se um tornado tivesse passado sobre mim hoje e me arrancado toda a felicidade que sentia. Me sinto impotente… Sem poder fazer nada, sem poder me mexer, sem poder falar…
Algumas pessoas devem estar se perguntando ❝ O que acontece com esse louco? ❞. É horrível você ter que ouvir coisas que não merece de uma pessoa importante em sua vida e não poder responder pois você ainda em termos depende dela…
Eu não mereço e não quero passar por isso… Só Deus sabe o quanto estou me segurando. Com tantos problemas e tantos testes que passo, ainda tenho que passar por isso dentro da minha própria casa…

Nossa! Quanto drama, não? rs
Nessa época faltava pouco menos de 2 semanas para o meu aniversário de 24 anos e eu estava vivendo dilemas da minha sexualidade. Nunca vive algo que não sou, nunca apresentei uma namorada para minha família para dizer que eu era ❝ o pegador ❞ mas também nunca apresentei um namorado. Eu lotava a minha casa de amigos, queria estar cercado das pessoas que sabiam da minha opção mas que ao mesmo tempo não poderia dar dicas para os membros da minha família de que meu lance era com os garotos. Lembro que a sensação era de que uma bomba sempre estava prestes a explodir!

Hoje os meus dilemas são outros e consigo ver com clareza que a falta de conhecimento ou até mesmo o meu amadurecimento tardio fez com que minha juventude tenha sido tão intensa. Só que o mais importante de tudo isso é ver que o que passei ou senti, por mais ingênuo que eu fosse, dramático e até mesmo incompreensível, elas me trouxeram para a pessoa que sou hoje.

E se recordar é viver, não existe contador de história melhor do que nós mesmos e não existe leitor melhor do que nossos familiares e amigos. Continuo trilhando, escrevendo meus anseios e desejos. Compartilhando conhecimento e antes de tudo aprendendo, aprendendo muito!

Recordar-É-Viver

Anúncios