Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A dica de livro desse mês não é um best seller recente, ele foi lançado em 2010 e junto com ele trouxe bastante ❝ polêmica ❞ em torno das declarações do cantor Ricky Martin. No livro autobiográfico ❝ Eu: Ricky Martin ❞ o ex-integrante do grupo Menudo compartilha sua infância, as experiências que teve no grupo, a luta por sua identidade, carreira solo, sua busca espiritual, o nascimento de seus filhos Matteo e Valentino, e sobre sua sexualidade.

ricky-martin-euQuem leu o livro vai entender meu ponto de vista sobre, em alguns momentos até achei que estava lendo a mesma página por mais de uma vez. Muita coisa fica repetitiva, mudando apenas algumas palavras ou a colocação da mesma. Quando os capítulos são sobre sua busca espiritual fica algo maçante, quase uma pregação.

O bom do livro é que Ricky Martin se mostra totalmente humano, ele se desprende totalmente de todo o glamour e regalias que a fama lhe trouxe e se coloca com humildade e conta quase tudo sobre todas as suas relações, tanto com homens e mulheres. Até o seu apelido intimo, como é chamado pela família, ele compartilha: Kiki! (o nome do meu cobertor!) 😉

De qualquer forma, o livro não deixa de ser uma boa leitura. Não sou do cantor, conheço algumas de suas músicas e o mais importante é conhecer o lado humano e pai de uma mega estrela internacional, e ele foi super transparente e honesto nessa parte. Algumas frases marcantes do livro:

❝ Uma vez um amigo disse uma coisa que me ajudou muito: ‘Quando você estiver se sentindo preso e tudo parecer pesado, lute!’. Isso é muito verdadeiro. É preciso lutar. É preciso sentir. É preciso ir em frente. Quando não estou no meu melhor momento, emocionalmente falando, a última coisa que quero é que as pessoas saibam como estou me sentindo. ❞

❝ Infelizmente, o preconceito existe até hoje. A mídia muitas vezes caracteriza os homossexuais como pessoas unidimensionais, sem nenhuma profundidade, como se um ser humano pudesse ser reduzido à sua sexualidade. A própria linguagem utilizada no mundo todo para designar os homossexuais é terrivelmente degradante: palavras como ‘bicha’, ‘viado’, ‘sapatão’, ‘frutinha’ e outras servem apenas para perpetuar o ódio e a discriminação entre gerações mais jovens. ❞

Anúncios