Tags

, , , , , , , , , , , , , , ,

Madonna - MDNA Tour 2012Todos aqui sabem que sou super fã da rainha do pop, admiro seu poder de reinvenção e como ela trilha sua longa estrada no mundo da música. Sua nova tour é sinonimo de sucesso e foi “Sold Out” em diversos países, aqui no Brasil o número de público não fez feio, 58 mil pessoas, mas poderia ser bem melhor. Motivos tivemos de sobra: altos valores dos ingressos e o grande número de shows internacionais.

Mas nada disso importa agora, o que vale mesmo é a experiência de estar em um show do porte da MDNA Tour! O palco é simplesmente um monstro e ele dança conforme a música, não deixa de ser um dos dançarinos do show. Essa tour não têm a leveza e o astral da Sticky Sweet Tour, é um show escuro e em alguns momentos meio mórbido. O primeiro bloco, o Trangression, aonde Madonna começa pedindo perdão a Deus e mostra todos os símbolos religiosos já usados anteriormente deixa evidente que a rainha não se arrependeu de nada que fez em sua carreira. A música que menos gosto no álbum, Gang Bang, é tão forte ao vivo que ela não sai da minha cabeça até agora, na minha opinião foi o climax do primeiro bloco (tirando Girl Gone Wild, claro).

O segundo bloco, intitulado Prophecy, não teria melhor nome. A principal mensagem que Madonna passa neste bloco é exatamente o que ele representa. Se você luta, ama e é inteligente o suficiente para fazer arte, você sempre será coerente, capaz e verdadeira em seu trabalho. E já começa dando um tapa de luva de pelica em Lady Gaga na canção Express Yourself, aonde ela faz menções de Born This Way, e no telão fica um monstro comendo latinhas, tadinha da Mother Monster. O climax desse bloco foi a morna Give Me All Your Luvin, eu estava quase achando que iria sair um baterista do meu lado, eles estavam saindo de tudo que era canto, até do teto!

O bloco Masculine/Femine já vale por ter Vogue e Candy Shop juntas! Infelizmente ela cortou duas músicas desse bloco, Like A Virgin e Love Spent, o real motivo nunca vamos saber, alguns dizem ser pela nova lei de SP para que os eventos (shows) acabem antes da meia-noite (simples, era só ela ter começado no horario certinho). E o último bloco, intitulado de Redemption abre com uma interlude de Nobody Knows Me de tirar o fôlego. Madonna surge vestida de Joana D’arc pronta para incendiar o Morumbi, o climax desse bloco foi a poderosa Like A Prayer.

Minha conclusão final… Achei a Madonna um pouco cansada, o público estava meio morno, em algumas músicas ela dizia para fazermos melhor que o Rio (pelo visto não estávamos conseguindo). Infelizmente não foi melhor que a Sticky Sweet Tour, é um bom show e tenho certeza que vou curti-lo mais ainda em DVD. Se eu voltaria novamente? Só se for no Golden Triangle.

There’s only one queen, and that’s MadonnaBitch!

Foto: Divulgação

Anúncios