Esse João É Maria… Essa Maria É João!

Esse João é Maria… Essa Maria é João. Por trás da fantasia, noite passa por dia, mendigo vira barão…“. Já que vou falar sobre sexualidade, não poderia começar esse post da melhor maneira!

O assunto surgiu quando me deparei no corredor dos livros que tratam de “Sexualidade” na Livraria Cultura, e a querida Andresa soltou: Estamos no lugar certo, você já encontrou sua sexualidade André?
Fui taxativo: Sou bem definido com minha sexualidade e sempre soube o que quero desde o inicio!

Mas nem todas as pessoas são assim. Em meu ciclo de amizade existem pessoas que ainda estão no conflito da aceitação, no conflito da aprovação ou no conflito do que ela faz nesse Mundo. É complicado falar desse tema pois existem diversos tabus: familiares, religiosos e cultural.

E até que ponto esse tipo de bloquei interfere na amizade/relacionamento? Diversas pessoas não gostam de se relacionar com pessoas que não são assumidas consigo mesma e perante as outras pessoas.  Eu já tive esse bloquei de aceitação perante as outras pessoas, e sempre ouvi: Shiiiiiii é complicado, como vamos fazer?

Antes de tudo, não vamos confundir aceitação com afetação. São duas coisas completamente diferentes e nem quero entrar nesse “campo”. Só que ultimamente a frase que ouvi a muito tempo atrás esta fazendo sentido. Existem alguns momentos que não consigo evoluir uma conversa com um amigo(a) por que existe esse bloquei interno, não posso escrever ou citar algo de algum amigo(a) por causa do bloqueio de aprovação. Chegou minha vez de dizer: Shiiiiiii é complicado, como vamos fazer?

Como lidar com essa situação? É realmente importante que as pessoas saibam o seu papel nesse mundo? Até que ponto esses “conflitos” interferem? Até que ponto a não aceitação de sua sexualidade é dos interesses dos outros? #ThinkAbout

8 pensamentos sobre “Esse João É Maria… Essa Maria É João!

  1. De fato, tem muita gente insegura com sua sexualidade, e isso traz um “bloqueio” no convivio dela com o mundo, sempre passando uma imagem de “amargura” ou até mesmo “rancor”. Eu sinto isso em muita gente logo de cara, e não muito tempo depois, eu não consigo sequer desenvolver uma relação franca de amizade, fica algo meio superficial…

  2. É importante pra essas mesmas pessoas e não pro resto do mundo.
    Se a pessoa não se aceita por medo então covardia não é digna de pena, se não se aceita por auto repulsa então nem merece considerações… Mas se não se aceita por conta da sociedade então que vá se catar e viver o conto de fadas perfeitinho que pessoas recalcadas tanto almejam. Esses sim merecem que se tenha dó, um dia vão ver o quanto deixaram de viver uma vida de verdade só pra se encaixar em padrões.

    Cadê meu namorado?!?!

    • Sei lá! Pode parecer difícil no começo e cada um tem o seu tempo… Mas a sensação de “liberdade” consigo mesmo é surreal. Parece não existir fronteiras! Mas estranho as pessoas gostarem de ficar atrás do muro.

  3. Ops, quando vi já tinha soltado a bomba pro André? kkk
    Mas sua resposta foi ótima, direta e segura.
    Concordo com a Silvia, infelizmente existem pessoas que não se aceitam por conta da sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s