Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Estamos envoltos em um mundo de coisas indispensáveis, e por menos fúteis que achamos que somos, uma hora ou outra acabamos escorregando. Ninguém vive sem uma futilidade. Algumas vezes elas são “gritantes” e em outros momentos nem percebemos.

Na TV somos bombardeados por diversos realitys shows, alguns dos programas colocam as pessoas à viver uma vida desumana, outros deixam confinados um grupo de pessoas , e a maioria mostra o dia-a-dia de celebridades ou pessoas anônimas com suas familiares. Eu adoro realitys shows! Confesso que essa seja a minha futilidade preferida, mas tenho outras também. rs

Ja na internet, acredite se quiser… Compartilhar sua vida, seus afazeres, o que gosta, com quem você sai, tudo em redes sociais é uma futilidade do mundo moderno que nem percebemos que fazemos. Você pode dizer: Gosto de registrar o momento. Mas a partir do momento que você torna isso público, até mesmo para os seus amigos, você começa a ser assistido, comentado e algumas vezes até criticado, virando um ciclo fútil, de uma certa forma um reality.

Eu acho tudo válido! Só não sou a favor da futilidade que deixa a pessoa alienada. Exemplo: Eu preciso ter aquela bolsa de grife para poder me enquadrar em um nixo; Eu preciso de dois carros com placas diferentes por causa do rodízio; Eu adoro água S. Pellegrino (antes que falem de minha pessoa, eu tomo outras águas também).

As pessoas também têm que ter o discernimento entre futilidade e gostar de coisas que para algumas são indispensáveis. Muitas vezes uma pessoa gosta de vestir e comer/beber coisas melhores pois tem um poder aquisitivo maior ou um paladar refinado e isso não é motivo para elas serem taxadas como fúteis. Mas água não é água? Não é tudo igual? Pelo incrível que pareça, não!

Eu adoro o BBB (Big Brother Brasil), as lindas Kardashians, Kendra! Ah! Têm também Girls Of Playboy Mansion e Kimora. São programas que gosto de assistir no meu horário de lazer, só que não definem o meu caráter. Você nunca me viu em rede social discutindo quem vai ganhar o BBB e nem vai ver.

Se no vocabulário a palavra “Fútil” significa: falta de valor, sem importância, vulgar, banal, sem sentido, sem nexo, sem noção, vazio. O que iremos fazer com a globalização? Com a internet? Com o poder de ter tudo na palma da mão na hora que quiser e como quiser? Creio que hoje a palavra futilidade deveria entrar no patamar da palavra “gosto“. Cada um têm o seu. O que é fútil para mim, pode ser uma necessidade para você. #ThinkAbout

Anúncios